"Agradeço a Deus Pai, a Deus Filho e a Deus Espírito, para mim sem Eles nada é possível, nada sou e nada faço." "A Graça de Deus me basta!"

Salette Granato

A BICICLETA AZUL, O QUARTINHO E O COELHÃO AMA... R$ 25,00
A GUERRA NA SOMBRA DO POETA (EDIÇÃO ESGOTADA) R$ 25,00
O IPÊ À MINHA JANELA (EDIÇÃO ESGOTADA) R$ 25,00
Textos

A LÁGRIMA E O PASSEIO CICLÍSTICO DE 2012

Não é novidade para ninguém que a violência tem nos assolado, não só na nossa cidade como no país e no mundo, também já escrevi sobre ela e suas causas em artigo anterior, onde destaquei a preocupação do memorável cientista Albert Einstein ao questionar o pai da psicanálise Sigmund Freud. Hoje, não quero escrever sobre isso, estou cansada, cansada de ouvir sobre a violência e também em ver o mal rir de nossas lágrimas. Hoje, para a violência fica o meu repúdio e a minha oração a Deus: “Senhor, por favor, repreenda os violentos, aqueles que roubam do teu povo bens e vida e sobre nós derrame misericórdia e graça!” À família da linda jovem Ana Paula, meus sentimentos mais profundos de tristeza e solidariedade.
Pensando nessas coisas, participei do passeio ciclístico deste ano, como sempre faço acompanhada da minha família. A imagem da bela Ana Paula e do meu patrono Dr. Roberto Donizete, ambos assassinados nesta cidade e da mesma forma brutal, não me saíam da cabeça; uma lágrima caiu. Em cada pedalada, minha alma tentava se alegrar, apesar da tristeza estar em mim e em todos os jacareienses com certeza.
Observei, que apesar dos esforços dos seus organizadores, o povo não estava ali de corpo e alma e o espírito da cidade gritava e grita ardentemente pela Paz. A ausência dos idosos chamou-me atenção, também foram poucas as crianças a transitar com suas pequenas bicicletas, alegria de todo passeio.
O passeio começou e ao pedalar pelas ruas da minha querida Athenas Paulista, percebo que não está mais bucólica e grandes fortalezas de concreto já foram construídas. As casas antigas quase não existem mais e poucos moradores saíram às ruas para saudar o passeio e isso me incomodou demais.
Então, de repente algo começou a mudar, quando uma bicicleta colorida passou por mim, um pai com sua filha na garupa numa bicicleta toda adornada com muitas bexigas alegrou a vista da gente e tirou a tristeza que estava em mim,  assim podemos mudar também a nossa cidade, como aquele pai mudou a minha maneira de enxergar o passeio ciclístico. A partir disso, minha visão mudou, pude ver a alegria de uma idosa à porta de sua casa, chamando insistentemente pelo marido, esse veio correndo até o portão e acenou, aí sim algo tocou o meu coração.
Mais adiante, alguns jovens pedalando, trabalhando com propaganda em triciclos, brincavam e se divertiam, dando vida às ruas de Jacareí.
Já quase no final do passeio, ao passarmos em frente a uma grande igreja, das escadarias, um mendigo acenava e mandava beijos a todos, a alegria daquele homem me contagiou e imaginei que tudo pode ser diferente aqui em Jacareí.
No final do passeio, ao passarmos por um bairro residencial, um senhor mal humorado saiu na sacada de sua casa e nos olhou de cara feia, provavelmente por ter sido interrompido no seu sono, sem perceber que o passeio estava alegrando aquele domingo.
Lembrei-me então, da alegria da Dona Ditica acenando com um lindo sorriso e concluí: o sorriso da nossa querida Ditica, o sorriso da idosa que chamou o marido no portão, a criança na bicicleta com bexigas, o mendigo na escadaria da igreja com os seus beijos são exemplos vivos de que o amor ainda existe aqui, em Jacareí e que homens de cara feia, são poucos, em meio ao amor e desejo de paz que aflora dos brasileiros!
SALETTE GRANATO
Enviado por SALETTE GRANATO em 27/04/2012
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras