"Agradeço a Deus Pai, a Deus Filho e a Deus Espírito, para mim sem Eles nada é possível, nada sou e nada faço." "A Graça de Deus me basta!"

Salette Granato

A BICICLETA AZUL, O QUARTINHO E O COELHÃO AMA... R$ 25,00
A GUERRA NA SOMBRA DO POETA (EDIÇÃO ESGOTADA) R$ 25,00
O IPÊ À MINHA JANELA (EDIÇÃO ESGOTADA) R$ 25,00
Textos

A GARAGEM


Dia após dia, a situação era a mesma: basta querer sair ou entrar em sua casa que o estresse tomava conta do Senhor Floriano.
“Meu bem, ainda terás um ataque cardíaco”. Grita a esposa do Senhor Floriano ao vê-lo entrar em casa, vermelho, bufando, parecendo soltar fogo pelas ventas.
“Ainda mato um na porta de casa. Eh, povinho sem educação, será que não veem que é uma garagem? As pessoas insistem em estacionar em frente de casa. Como eu posso entrar na garagem da minha própria casa, se toda hora tem um asno estacionado em frente? E ainda por cima acham ruim quando eu buzino para que saiam!” Dizia Senhor Floriano irritadíssimo ao chegar em casa.
“Calma querido, nós moramos em frente a uma escola, sei que a situação é irritante, mas a solução será mudarmos daqui, ninguém respeita a entrada de uma garagem em frente a uma escola. Todos têm pressa, têm horário”.
“Mas, eu também tenho horário, crianças para levar à escola e ainda tenho que arrumar tempo para ensinar aos marmanjos o que é uma garagem!”
“Assim, você vai ganhar um infarto!”
“Infarto eu vou ter, se eu não ensinar para essas pessoas o que é uma garagem: guia rebaixada, portões que se abrem no meio e para fora, portões eletrônicos! Será que é difícil entender?”
“Você não conseguirá mudar os hábitos dos outros, só vai se enraivar, escute o que eu lhe digo.”
“Será que é difícil entender o que é uma garagem? O pior de tudo é que acham ruim quando chamo a atenção. Não posso entrar em casa e nem buzinar, que já arrumei um inimigo, isso quando não falam: É só um minutinho, o senhor pensa que é o dono da rua?”
Dia após dia Senhor Floriano se estressava com os constantes carros parados em frente à sua casa.
Alguns meses depois, Senhor Floriano, novamente irritado por não conseguir estacionar em sua garagem, discutiu com um motorista que estava com o carro estacionado na porta de sua casa. Pobre Floriano, não imaginava no que acabaria sua revolta. O motorista desceu do carro armado e sem pestanejar sacou uma arma e disparou-a várias vezes na direção do Senhor Floriano, que foi ao chão deixando para traz sua vida.
O motorista? Ah, esse foi embora e nunca mais tiveram notícia dele!
Senhor Floriano deixou mulher e filhos. Triste fim do Sr. Floriano.
A Família ficou desamparada e o Senhor Floriano teve sua voz silenciada por toda a eternidade.
A arte imita a vida ou a vida imita a arte?

Salette Granato
   04/04/2009
SALETTE GRANATO
Enviado por SALETTE GRANATO em 28/04/2009
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras