"Agradeço a Deus Pai, a Deus Filho e a Deus Espírito, para mim sem Eles nada é possível, nada sou e nada faço." "A Graça de Deus me basta!"

Salette Granato

A BICICLETA AZUL, O QUARTINHO E O COELHÃO AMA... R$ 25,00
A GUERRA NA SOMBRA DO POETA (EDIÇÃO ESGOTADA) R$ 25,00
O IPÊ À MINHA JANELA (EDIÇÃO ESGOTADA) R$ 25,00
Textos

FÉRIAS, POR QUE NÃO?
Enfim, as férias chegaram, em pleno verão, não há época mais propícia para repor as energias do que esta estação. Não fossem os últimos acontecimentos, Guerra na Faixa de Gaza, violência, acidentes, crise financeira mundial, desaceleração do crescimento, desemprego, distúrbios ambientais, eu diria que tudo está perfeito.
Para curtir as férias é preciso fechar os olhos e sair desta órbita, do contrário, é praticamente impossível relaxar e se recompor. Imagine-se em outro lugar, não importa o local que escolheu para passar as férias, hotel fazenda, litoral, os mais abastados vão para outros países, a ordem é relaxar, porque o regresso pode ser duro: IPVA, lista de material escolar, matrícula, uniformes, IPTU, IR, entre outros.
Realmente é preciso esquecer, ser até um pouco egoísta, pensar em si para poder sobreviver e não adoecer.
Já não bastasse a nossa luta, ou melhor, guerra diária pela sobrevivência, não é que alguns do outro lado do mundo resolveram guerrear! Não critico seus motivos, cada lado tem a sua explicação, mas, nada justifica provocar numa criança um olhar de medo, medo não, pavor! As crianças da Faixa de Gaza têm seus rostinhos puros violentados pela dor, por ver seus pais morrerem e terem seus pequeninos corpos cobertos por estilhaços devido aos constantes bombardeios. Aqui, algumas de nossas crianças foram vítimas de pedófilos, outras incitadas à prostituição e isso me fez imaginar o semblante dessas nossas crianças vitimadas não pela guerra, mas pela violência sexual praticada nelas, rostinhos puros aterrorizados, seus corpos não abrigam estilhaços, mas, outras marcas terríveis no corpo e na alma, que elas levarão pelo resto de suas vidas.
Não temos o direito de nos calar, as crianças clamam pelo nosso grito de defesa. Agora, a violência começa no ventre, recentemente, no nosso Estado, uma jovem, grávida de quatro meses, foi estuprada! Isso que é tolerar o intolerável, aceitar o inaceitável!
Falando em crianças, que saudades dos episódios televisivos do Sítio do Pica-Pau Amarelo e dos “faz-de-conta” da Emília:
“Faz-de-conta” que não existe Guerra!
“Faz-de-conta” que Crianças nunca foram molestadas!
“Faz-de-conta” que tudo vai bem!
“Faz-de-conta” que estamos em Férias!

Salette Granato
     16/01/09









SALETTE GRANATO
Enviado por SALETTE GRANATO em 02/03/2009
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras